Seg – Sex: 9:00 – 18:00

 - 
English
 - 
en
Portuguese
 - 
pt

Lesões do Cotovelo

Rotura do Tendão Distal do Bicípite

Trata-se de uma lesão pouco frequente, quando o tendão do bicípite rompe da sua inserção distal no radio ( face anterior do antebraço junto ao cotovelo) devido a carga contração excêntrica súbita excessiva do bicípite braquial.

Ocorrem sobretudo no cotovelo dominante em 93 % em homens na sua 4ª década de vida Os principais fatores de risco são a utilização de esteroides anabolizantes, hábitos tabágicos, ou conflito anatómico.

Sinais e sintomas

O doente sente algo a estalar ou romper apos carga súbita, sentindo posteriormente dor e diminuição da força sobretudo na supinação (voltar a palma da mão para cima com o cotovelo flectido).

 
Em, termos de alterações anatómicas obvias , é frequente uma deformidade na face anterior do braço, descrita habitualmente com o sinal de Popoye invertido – Massa do bicípite aumentada e com vazio na zona imediatamente acima do cotovelo
 

O tratamento não cirúrgico esta reservado para doentes mais velhos com baixa exigência funcional, e consiste sobretudo em fisioterapia e terapêutica analgésica. Tem como resultado deformidade cronica e diminuição da força de flexão e supinação do antebraço.

O tratamento cirúrgico é o tratamento habitual para a maioria dos doentes.

Consiste na reinserção anatómica do tendão através de uma incisão na face anterior do antebraço e fixação do tendão ao osso com técnica de túnel e dupla fixação com botão em titânio e parafuso de interferência absorvível.

A cirurgia é feita em regime de ambulatório e a mobilização do cotovelo pode e deve ser feita imediatamente apos a cirurgia.

Às três semanas é iniciado plano de reabilitação com fisioterapia para recuperação da mobilidade e força muscular.

A recuperação plena para retoma livre de actividade desportiva habitual acontece habitualmente aos três meses após a cirurgia.